Capa artigo

Corante urucum: um dos corantes naturais mais importantes para a indústria

Utilizado pelos indígenas desde os tempos mais remotos, o urucum foi mencionado como “a verdadeira mina do Brasil” na carta enviada por Pero Vaz de Caminha ao Rei de Portugal, Dom Manoel, quando os portugueses chegaram em nosso país.

De origem tupi-guarani, a palavra urucum significa “vermelho” e seu grão era utilizado pelos índios para tingir artefatos de guerra, caça e pesca, e como tinta para pintar seus corpos.

O urucum (Bixa Orellana L, da família das bixáceas) é o fruto do urucuzeiro, planta originária das Américas Central e do Sul. Chamado de cachopa, seu fruto é coberto por espinhos moles e possui coloração variável entre o verde, o vermelho e o roxo.  O pigmento do urucum é extraído da parte externa de suas sementes e é rico em carotenoides de coloração amarelo-alaranjado.

Hoje, o corante de urucum é um dos mais importantes corantes naturais do Brasil, amplamente utilizado como pigmento na indústria alimentícia, cosmética, têxtil, entre outras.

Conheça como produzimos o corante urucum

A DAXIA iniciou a produção do corante de urucum em 2015 quando foi criada a nossa planta de extração. Ao longo dos anos, aumentamos nossa linha produtiva e nos tornamos especialistas na extração e aplicação do corante. A tendência da utilização de produtos naturais, com características funcionais e o apelo saudável, fez do urucum a escolha ideal para iniciarmos nossa linha DAXCOR de corantes naturais.

Através da fabricação do corante, contribuímos com a cultura nacional do urucum e auxiliamos as indústrias na fabricação de produtos com rótulos mais limpos.

A cultura do urucuzeiro no Brasil é proveniente, principalmente, do pequeno produtor familiar, que se beneficia da produção para aumentar sua renda doméstica.

Acompanhamos os produtores desde a plantação, com boas práticas agrícolas, colheita e secagem, até o beneficiamento das sementes, que seguem para nossa indústria e centro de distribuição localizado em Guarulhos (SP), onde é feita a extração do corante.

As sementes do urucum são revestidas por uma camada pastosa de coloração avermelhada e que, quando maduras, tornam-se secas, duras e de cor escura. Da camada externa das sementes extraímos os pigmentos do urucum, que consistem principalmente de cis-bixina, também denominada alfa-bixina. Da bixina são extraídos os demais pigmentos do urucum como a norbixina (lipossolúvel) e o sal de norbixina (hidrossolúvel).

Através da extração em nossa planta industrial, obtemos os corantes de urucum na forma lipossolúvel e hidrossolúvel, que atendem às demandas específicas para cada tipo de aplicação. O corante de urucum pode ser apresentado em forma de pó, pasta, suspensão ou solução e, como resultado final, possui a coloração que vai do amarelo-alaranjado ao castanho-avermelhado.

Aplicações na indústria

Com o aumento do interesse da população em consumir produtos naturais, o urucum ganha cada vez mais espaço na indústria de alimentos e cosméticos. A sua alta flexibilidade de aplicação e estabilidade são os responsáveis pelo seu alto consumo nestes segmentos.

Vastamente utilizado na indústria alimentícia, o corante urucum pode ser usado em diversas aplicações.

O extrato lipossolúvel do urucum pode ser aplicado em massas, snacks, salgadinhos, recheios, coberturas, doces, margarinas, manteigas, queijos processados, cremes, molhos, sopas, condimentos, entre outros.

O extrato hidrossolúvel pode ser utilizado em massas, sorvetes, confeitaria, produtos cárneos e embutidos, bebidas, iogurtes, entre outros.

Na indústria de cosméticos, onde é crescente a demanda por produtos naturais, o corante urucum em sua forma hidrossolúvel é usado em shampoos, sabonetes, géis, séruns, entre outros. O extrato lipossolúvel é utilizado principalmente em cremes, bronzeadores, maquiagens e outras emulsões.