Capa artigo

Mercado e insumos para cosméticos veganos

22/11/2021

O mercado de cosméticos naturais cresce há alguns anos e a tendência é que cresça cada vez mais.

Produtos naturais e menos agressivos ao meio ambiente estão ganhando espaço nas prateleiras e na preferência dos consumidores, que estão mais preocupados com a origem dos produtos e suas formulações.

O mercado global de cosméticos naturais movimenta cerca de US$ 35 bilhões por ano. Segundo um estudo realizado pela Londres Future Market Insights, a projeção é que esse volume chegue a US$ 54,5 bilhões em 5 anos.

De acordo com a Euromonitor International, o Brasil é o quarto maior consumidor do setor de beleza e cuidados pessoais do mundo.

Dados da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), mostram que o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos apresentou um crescimento em vendas ex-factory de 5,7% no primeiro quadrimestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Recentemente, a prática do veganismo deixou de ser apenas um hábito alimentar e se tornou comum também entre os cosméticos.

Produtos veganos são definidos como aqueles que além de não terem sido testados em animais, não possuem em sua composição nenhuma matéria-prima de origem ou produzida por animais.

No Brasil ainda não há nenhuma legislação que regulamente os produtos veganos em cosméticos e nem que proíba que sejam utilizados em animais para testes. Mas as empresas buscam por alternativas que possam atender as demandas desse mercado.

As empresas brasileiras que possuem linhas e produtos veganos podem ser certificadas por órgãos não governamentais reconhecidos em âmbito nacional e/ou mundialmente, assim como algumas marcas criam seus próprios selos.

Ingredientes para formulação de produtos veganos

Na composição de produtos veganos podemos encontrar itens que são de origem sintética e não necessariamente apenas ingredientes naturais, assim como os conservantes Benzoato de Sódio e Sorbato de Potássio.

Esses conservantes são eficazes em produtos com pH ligeiramente ácidos e muitas vezes são usados em associação, para potencializar a ação contra microrganismos.

Alguns formuladores preferem o uso de matérias-primas que além de não serem testadas em animais, sejam de origem natura; um exemplo é a utilização de gomas como espessantes.

A Goma Xantana é derivada do polissacarídeo obtido durante o processo de fermentação da bactéria Xanthomonas Campestres e tem capacidade de formar gel em ampla faixa de pH e em meios eletrolíticos, além disso, a goma proporciona um sensorial aveludado ao produto e auxilia em sua estabilização.

A Goma Arábica, derivada da árvore Acacia Senegal, possui versatilidade e pode ser aplicada nas mais variadas formulações cosméticas como espessante. Também é utilizada em máscaras capilares, devido a sua função adesiva ou em produtos para skincare, onde atua como formador de filme.

Outra excelente opção para a aplicação em produtos veganos, é a Glicerina, um dos umectantes mais utilizados em cosméticos, que hoje também possui uma versão vegetal proveniente da soja.

A Cocoamidopropil Betaína também é um item bastante conhecido pelos formuladores de cosméticos e pode ser utilizado em produtos veganos. De origem vegetal, é pouco agressivo à pele e aos cabelos.

Sobre a DAXIA

A DAXIA possui uma linha completa de insumos para cosméticos e produtos de higiene pessoal que atendem às demandas dos consumidores por produtos veganos.