Capa artigo

A preferência dos consumidores por snacks

Os snacks estão normalmente ligados à indulgência, além disso, seu consumo está relacionado a alimentos e bebidas que tragam a sensação de conforto, assim como estão inseridos em momentos de descontração e diversão.

Geralmente consumidos na parte da tarde e à noite, os snacks também são uma forma das pessoas lidarem com a ansiedade e o estresse.

Uma pesquisa realizada pela Mintel, apontou que para 36% dos brasileiros, comer snacks ajuda a lidar com a ansiedade, e quando indulgentes, têm um papel importante no controle da ansiedade.

A nostalgia também é um ponto de destaque nesse segmento, segundo a pesquisa, 11% dos consumidores têm consumido snacks que os remetam a infância.

Com a chegada da pandemia, a preocupação dos consumidores com uma alimentação mais natural e equilibrada, fez com que as pessoas passassem a buscar por versões de snacks mais saudáveis, além de optarem pelo consumo de frutas e vegetais nessas refeições.

A nostalgia e saudabilidade estão presentes nos principais lançamentos dessa categoria.

De acordo com o Tracker Global COVID-19 Mintel – Brasil, 45% dos brasileiros têm priorizado comer de forma saudável para manter uma boa saúde e prevenir doenças.

Passando mais tempo dentro casa, pouco mais de um quarto dos brasileiros vêm consumido mais snacks e lanchinhos desde o início da pandemia.

Ainda segundo esse mesmo relatório, 27% dos entrevistados disseram estar dispostos a pagar mais por snacks mais saudáveis, e 29% dos consumidores estão comendo mais frutas e vegetais como snacks, o que traz uma oportunidade para as indústrias investirem na formulação de snacks que possuam ingredientes mais naturais, redução de açúcar e sódio, e que contenham frutas e vegetais.

Os snacks “premium e gourmet” em pequenas porções também ganham espaço no mercado como um luxo permissível para os consumidores brasileiros.

A pesquisa mostrou que 13% dos consumidores preferem gastar mais em lanchinhos premium como um chocolate belga, por exemplo, do que em refeições gourmet como um hambúrguer de picanha gourmet, revelando assim o interesse de uma parcela da população em consumir produtos diferenciados.

Outro interesse por parte dos consumidores é o consumo de snacks plant-based. A pesquisa apontou que 21% dos entrevistados demonstram interesse em comprar produtos com esse posicionamento.

Essa tendência é apontada também no relatório Mintel Atitudes em Relação à Ética e Sustentabilidade – Brasil, agosto de 2021. O relatório revelou que 40% dos brasileiros entrevistados têm procurado de alguma forma de diminuir o consumo de produtos com ingredientes de origem animal.

Mesmo os consumidores que não adotam uma dieta restritiva como a vegana ou vegetariana, estão procurando limitar o consumo de produtos com ingredientes de origem animal por motivos relacionados ao bem-estar animal, a saúde física e a sustentabilidade.

Abaixo podemos ver os gráficos da pesquisa que mostram quais os tipos de snacks mais consumidos pelos consumidores entrevistados nessa pesquisa realizada pela Mintel:

 

 

 

 

A DAXIA possui uma ampla linha de produtos para a formulação de snacks que atendem a essas demandas dos consumidores.